Procissão de Ramos

O Domingo de Ramos nos ensina que seguir Cristo é renunciarmos a nós mesmos, morrer na terra como o grão de trigo para poder dar fruto.

A Semana Santa começa no Domingo de Ramos, porque celebra a entrada de Jesus em Jerusalém montado em um jumentinho – o símbolo da humildade – e aclamado pelo povo simples, que O aplaudia como “Aquele que vem em nome do Senhor”. Esse povo tinha visto Jesus ressuscitar Lázaro de Betânia havia poucos dias e estava maravilhado, pois tinha a certeza de que este era o Messias anunciado pelos profetas, mas esse mesmo povo tinha se enganado no tipo de Messias que Cristo era. Pensava que fosse um Messias político, libertador social, que fosse arrancar Israel das garras de Roma e devolver-lhe o apogeu dos tempos de Salomão.

Os ramos lembram nosso batismo

Esses ramos significam a vitória: “Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas”. Os ramos santos nos fazem lembrar que somos batizados, filhos de Deus, membros de Cristo, participantes da Igreja, defensores da fé católica, especialmente nestes tempos difíceis em que esta é desvalorizada e espezinhada. Os ramos sagrados que levamos para nossas casas, após a Missa, lembram-nos de que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, a luta árdua contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição.

Em nossa cidade a procissão de ramos saiu da rotatória em frente ao colégio Wolff Klabin, onde esta a cruz missionária colocada em 2007, reunindo cerca de 600 pessoas a procissão seguiu para a Igreja Matriz, onde teve a missa de ramos presidida pelo Pe. Primo.

A noite na missa das 19h30, Pe. Adriano, presidiu a missa e os pequeninos do senhor fizeram uma mini procissão dentro da igreja com os ramos nas mãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *