Comunidade São Geraldo

A COMUNIDADE TERAPÊUTICA SÃO GERALDO MAGELA

 

A Comunidade Terapêutica São Geraldo Magela foi criada em 21 de Agosto de 2010, pelo Pároco Padre Henrique Aparecido de Lima (Hoje Dom Henrique Aparecido de Lima), juntamente com a Paróquia Nossa Senhora de Fátima.

É uma entidade que valoriza os valores morais, comportamentais e espirituais, dentro de uma filosofia de tratamento que direciona o dependente químico a sua reabilitação social, familiar, profissional e cultural.

Juntamente com a entidade, foi criado o processo de reinserção, onde é feita a parceria com empresários da cidade, para que assim ao final do tratamento os adictos dêem encaminhamento as suas vidas.

Esse ideal da comunidade nasceu do interesse de tratar os indivíduos que desejam sair do vício. O Projeto Terapêutico da Comunidade Terapêutica São Geraldo Magela vem sendo construído e, acrescenta-se à disciplina, a laborterapia, a espiritualidade, para aumento de conscientização e estimulação do crescimento interior.

As atividades diárias orientadas interiormente em uma comunidade terapêutica, bem como as atividades terapêuticas, oferecem a probabilidade de o adicto lidar com os seus problemas emocionais, tanto emergentes, como recorrentes, alargando parâmetros de percepção e compreensão.

 

 

 

Missão

Proporcionar tratamento ao dependente químico seja álcool, drogas ou dependência química cruzada, procurando assim recuperar e inserir o adicto na sociedade, proporcionando vida em abundância.

 

Objetivo Geral

Disponibilizar ao adicto, um ambiente onde haja a reintegração do dependente químico e seus familiares em um novo contexto social, educacional e familiar focando a recuperação de Dependentes Químicos.

 

Objetivos Específicos

 

*Conceder tratamento voluntário para indivíduos que fazem uso de quaisquer substâncias psicoativas;

 

* Oferecer as condições necessárias para que o residente possa desenvolver sua autossuficiência;

 

* Transmitir ao residente as devidas orientações que o permitam entender sua relação com a dependência química;

 

*Viabilizar espaços físicos, organizados, agradáveis e seguros para os residentes;

 

Capacidade

            A Comunidade Terapêutica São Geraldo pode atender até 25 jovens e adultos com intuito de assisti-los e reinserí-los na família e na sociedade.

O espaço conta com:

1 Refeitório

1 Cozinha

1 Leito com espaço amplo que suporta até 25 residentes

2 banheiros grandes, 3 banheiros pequenos, sendo 1 adaptado.

1 Igreja para celebrações

1 Escritório para atendimento

1 Leito para o coordenador

1 Quarto para familiares de internos que veem de outras cidades.

 

Acolhida

 

A acolhida na comunidade inicia-se desde o primeiro momento em que a família e o dependente químico ou etílico chegam para procurar o tratamento. Significa, num primeiro momento, acolher todas as queixas e relatos do usuário e de sua família, visando obter uma visão geral sobre o caso.

Os dados iniciais obtidos na acolhida são fundamentais para que com este processo iniciemos uma triagem. Tanto os dados informados pelo futuro residente, quanto àqueles que são passados pelos familiares a assistente social, são indicadores e definem uma caminhada que se inicia a partir da procura. Entende-se que, se a acolhida e o processo de triagem não forem bem feitos, há uma probabilidade maior de o adicto não avistar razão para decidir-se a ingressar no tratamento.

Decidido pelo ingresso ao tratamento, o residente é apresentado à comunidade, às normas, ao funcionamento, à metodologia de trabalho e instalações, etc. Iniciando assim um tratamento de 09 meses.

 

Metodologia

 A Comunidade Terapêutica São Geraldo Magela aplica o seguinte tripé: Espiritualidade, Trabalho e Disciplina. Através desse tripé buscasse tornar a Comunidade Terapêutica mais próxima possível da realidade vista externamente, o que colabora para a reinserção social dos adictos em recuperação.

A Laborterapia age como um procedimento de desintoxicação natural contribui no restabelecimento do condicionamento físico, possibilita ao indivíduo aliviar a aflição e ansiedade causada pela falta da droga, dentre outros proveitos. De modo que a Disciplina é vista como essencial na sociedade, para haver uma benigna vivência e o exercício da cidadania. A disciplina é aplicada na vivência diária do cronograma seguido pela Comunidade Terapêutica. A Espiritualidade é essencial para que se ocupe o sentimento de vazio causado pelo uso de drogas. De maneira que na espiritualidade o indivíduo retoma o sentido da vida, e se torna mais esperançoso para idealizar objetivos e retomar a sua vida de forma digna no meio social.

O tratamento são 09(nove) meses, onde será trabalhado da seguinte forma:

 

1- Desintoxicação;

2- Conscientização e reformulação;

3- Reinserção social.

1 – Desintoxicação e adaptação: No início do tratamento é feita uma avaliação, acaso seja necessário o processo de desintoxicação, será feito encaminhamento para hospitais que atendam esta demanda. Para após haver o encaminhamento para a Comunidade Terapêutica. Caso o adicto seja encaminhado para a Comunidade Terapêutica São Geraldo, os 03 (três) meses iniciais serão de adaptação.

2- Conscientização: No seguimento do tratamento do 3º ao 6º mês, é o momento onde ocorre a reabilitação propriamente dita. Nessa fase o foco são as atividades que serão firmadas no olhar para dentro de si, e dedicar-se profundamente ao tratamento, rever seu passado, sua história de vida e, a partir desse mergulho para dentro de si mesmo, buscar superar a sua conduta inadequada que leva ao uso de substâncias psicoativas.

 

Conforme é dado seqüência ao tratamento do adicto, devemos recuperar no dependente químico a habilidade de pensar com compreensão, recuperando assim sua auto-estima. O adicto em recuperação precisa entender que viver sem drogas de maneira saudável é possível. Fase essencial no tratamento.

 

 

3- Reinserção social: No 6º mês de tratamento o adicto em recuperação tem o direito de visita a sua família, cumprindo o que foi proposto pelo cronograma Comunidade Terapêutica, assim gradativamente até o 9º mês onde o usuário volta ao convívio social. Este é o período onde ele começa a por em prática as noções que adquiriu no tempo em que ficou recluso, e também uma preparação para o mundo do trabalho.


 

Atendimento psicoterapêutico individual e em grupo

 

Psicoterapia individual

Este trabalho é realizado por nosso psicólogo responsável Padre John. Esse modo de psicoterapia é destinada para os adictos em recuperação que estejam apresentando dificuldades específicas relacionadas a eventos traumáticos, ou a qualquer outro contexto conflituoso, e que requerem de amparo para lidar com estas dificuldades, sem interferir no programa de recuperação da dependência química.

 

 

Psicoterapia em grupo

O trabalho de psicoterapia em grupo é desenvolvido por um psicólogo, com intuito de trabalhar as dificuldades enfrentadas pelos adictos em recuperação no que diz respeito à reinserção social, dentre outras de igual importância.

 

Considerações Finais

 Observando que dependência química é complexa, visa-se que o projeto terapêutico precisa ser muito flexível. A reavaliação progressiva deve ser de acordo com a demanda da Comunidade Terapêutica. Todo o projeto terapêutico tem a missão de direcionar as práticas dentro da instituição, mas não é um método à prova de imperfeições, por isso, deve ser centro de indagações e sugestões de melhora. Compete a coordenação e a equipe em geral, prezar pela qualidade dos serviços prestados pela Comunidade Terapêutica, motivando o progressivo aperfeiçoamento das técnicas, tendo em vista a atenção e o respeito ao ser humano e o progresso de uma sociedade com mais justiça e solidariedade.

Projeto Realizado por: Jessica Fogaça Lisboa Silva